Carnaval 1999

Abraham Medina em Noite de Gala

Data do desfile: 13/02/1999 - Sábado.

Local: Sambódromo da Marquês de Sapucaí.

Ordem de desfile: 3ª Agremiação a desfilar.

Colocação: 4ª Colocada do Grupo A com 162,0 pontos.

Presidente: Moysés Antônio Coutinho Filho (Zezo)

Carnavalesco: Fábio Ancillotti e Lucas Pinto.

Samba-Enredo:

(versão estúdio)


(versão ao vivo)

Compositores: Pepê, Carroça, Marcelo Porquinho e Charuto
Intérprete: Carlinhos de Pilares

Amor! Tá chegando a hora!
Chama a vizinha que o show vai começar!
Vai ligando a TV e arraste o sofá que eu quero sambar
É "noite de gala"! Santa Cruz vai desfilar!!!
Eu vim de lá pra cá! O Rio eu fiz brilhar
E dei pro povo arte, vida e emoção
Sou alegria eu sou! E pra folia eu vou!
Sou "Rei da voz" no sonho da televisão

Quem quer TV
Tá na loja pra comprar!
Tá na loja pra vender!
Tô guardando pra você!


(Ai que saudade)
Ah! A saudade hoje está no ar
O meu show vai continuar
Vem me aplaudir
Ontem era preto e branco
No meu sonho eu colori
Vou vender ilusões na tela da Sapucaí

Eu quero festa! Quero brilho e serpentina
Pra saudar Abraham Medina
E dizer que sou seu fã!
Quero balé! Quero "IV Centenário"
Pra brindar aniversário
Santa Cruz foi campeã!!!


Sinopse do enredo

Introdução:

Abraham Medina, homem elegante, amante das artes, empresário bem sucedido que nos dourados anos 50 patrocinou programas de rádio e TV, lançou vedetes e atores.

Reinava como produtor cultural na CIDADE MARAVILHOSA, que sempre quis transformar num grande centro turístico que atraísse pessoas do mundo inteiro, através da realização de diversos eventos.

Homem sério, trabalhador, competente, apaixonado pela beleza e pelo povo carioca, viveu e ensinou a viver de maneira plena, enfrentando obstáculos e riscos para atingir seus objetivos e realizar seus projetos.

1ª PARTE

Paraense de Belém, morou no Rio de Janeiro aos dois anos. Aos dez anos já trabalhava para viver como técnico de piano, profissão que aprendeu com o pai.

Seu começo empresarial foi com o tio Samuel Garson, dono das lojas Garson, vendendo os famosos rádios Capelinha que possuíam alto falante separado. Pouco depois abriu sua primeira loja Rei da Voz, na Avenida Gomes Freire. Mas ainda não tinha coragem de trabalhar com rádios. Vendia, consertava e reformava pianos, que era o instrumento da moda.

A trajetória de venda de eletrodoméstico em geral começou mais tarde, constituindo-se na maior rede de lojas do gênero do rio de janeiro. Naquele tempo, uma potência em recordes de vendas de discos, eletrofones ou eletrolas.

A rede de lojas rei da Voz foi uma das pioneiras na venda de geladeiras, artigos de luxo e da época. As pessoas com medo de contrair pneumonia, só se submetiam a uma demonstração do seu funcionamento mediante a certeza de que o aparelho estivessedesligado.

Nos anos 50, com intuito de promover mais vendas de eletrodomésticos, Abraham Medina costumava associar uma de suas lojas para patrocinar o programa dominical na Rádio Nacional, do cantor Francisco Alves. Por esse auditório desfilavam vozes: Orlando Silva, Sílvio Caldas, entre outros.

As lojas de Abraham Medina chamavam-se Rei da Voz em virtude da grande amizade que o unia a Francisco Alves, detentor do título de Rei da Voz.

2ª PARTE

A venda de eletrolas e discos despencam enormemente com o surgimento da televisão, porém, o consumidor se mostrava ainda indeciso. Em comprá-la, por causa do preço absurdo, assistência técnica péssima e principalmente devido a uma programação fraquíssima.

A televisão precisava acontecer, vender. Assim, Abraham Medina que sempre acreditou na televisão como um dos grandes veículos de comunicação, resolveu investir nela e criou o seu primeiro programa denominado “Responda ao Rei da Voz” na TV Tupi, com a participação do Trio do Osso formado por Héber de Bôscoli, Lamartine Babo e Iara Salles, todos muito magrinhos, justificando o nome do trio.

Mais tarde, criou o Tele Semana Garson, um programa pretensioso, mas que ainda não era o desejado. Precisava de uma programação mais incrementada e prolongada para prender a noite das pessoas, habituadas ao cinema. Juntou-se a Fernando Chateaubriand e Murilo Godin a fim de levantar recursos para construir um novo estúdio que permitisse uma programação digna.

A dificuldade para se fazer um bom programa eram imensas, pois ninguém entendia de televisão no Brasil. Tentando amenizar este problema, Abraham Medina trouxe Oscarito e Grande Otelo para o meio. Oscarito surgiu sem muito sucesso.

E a televisão não saía daquela pasmaceira de venda, pois só quem podia comprá-la eram pessoas de bom poder aquisitivo. Quem não tinha dinheiro para isso assistia à programação na casa ao lado, sendo apelidado de Televizinho.

3ª PARTE

Entusiasmado por seus próprios projetos, Abraham Medina procurou industriais paulistas para expor suas idéias e vendê-las. O primeiro deles foi o presidente da Philips, que aderiu a estas idéias grandiosas.

Aparecia, então, o primeiro programa, com duas horas de duração com a pompa de uma verdadeira noite de gala. A apresentação foi espetacular.

A venda de aparelhos de TV cresceu assustadoramente consagrando aquilo que Abraham Medina pretendia: os produtos anunciados durante a “Noite de Gala”. E tinham venda garantida. O espectador nutria o sentimento de gratidão pela televisão brasileira participando dos custos, do sacrifício e do desenvolvimento desta.

Noite de Gala era um programa bem elaborado e de bom gosto, constituído de música, entrevistas e noticiários. Flávio Cavalcante era o destaque, comentavam dos alçamentos musicais. Apresentavam-se cantores brasileiros, atores e atrizes do teleteatro nacional, além de celebridades internacionais como Amália Rodrigues, Neil Sedaka, Paul Anka, Benvenildo Granda e Sammy Davis Jr.

A credibilidade do “Noite de Gala” foi tão grande que ajudou a eleger nomes de políticos que militavam até hoje na vida pública.

Abraham Medina apoiou a revolução e foi contra o AI-5. Fez um editorial que o levou à prisão e teve o programa “Noite de Gala” proibido de ir ao ar.

4ª PARTE

Através de suas empresas, Abraham Medina promoveu vários eventos culturais no Rio de Janeiro, tais como: Parada de Natal, decoração natalina na cidade, desfile militar, campeonato mundial de boxe, na categoria peso pesado-galo, Éder Jofre campeão.

Buscando fazer sempre mais e melhor, promoveu o Festival do Rio com inúmeras atrações, dentre elas a Banda Militar da Inglaterra, Balé de Juan Morilla, orquestra Harry James e prova automobilística. Montou um palco flutuante na Lagoa Rodrigo de Freitas, com belíssima queima de fogos.

A festa do IV Centenário do Rio de Janeiro também promovida por Abraham Medina a pedido do Governador Carlos Lacerda, foi um sucesso total, durante todo aquele ano, repleto de festividades. O povo carioca absorveu o espírito da festa e passou a se enfeitar com jóias e indumentárias que simbolizavam o IV Centenário.

5ª PARTE

Abraham Medina tinha um único e grande sonho: criar um grande nome e deixar essa herança para seus filhos.

Ele conseguiu!

• RUBENS MEDINA – foi eleito o Deputado Federal mais jovem que o Brasil já teve; • ROBERTO MEDINA – um dos publicitários mais conhecidos do Brasil; • RUI MEDINA – dono de várias academias de ginástica no Rio.

Homem lutador, festeiro, incentivador de turismo e promotor cultural, Abraham Medina chegou a acumular várias atividades empresariais: Casa Garson, o Rei da Voz, Midas Propagandas, produção do programa Noite de Gala, o Teatro República e o Rio 1800.

Abraham Medina foi um homem obstinado pelo sucesso e pelo trabalho. Sempre que lhe era  erguntado sobre o sucesso ele dizia: “Este se resume em trabalho”.

Hoje, o G.R.E.S. Acadêmicos de Santa Cruz homenageia Abraham Medina em “Noite de Gala”.

Pedro Inácio, autor do enredo.

Ficha Técnica
Presidente: Moysés Antônio Coutinho Filho (Zezo)
Carnavalescos: Fábio Ancilloti e Lucas Pinto
Autor(es) do enredo: Pedro Inácio
Autores do samba: Pepê, Carroça, Marcelo Porquinho e Charuto
Intérprete: Carlinhos de Pilares
Diretor de Carnaval: Arildes da Silva
Diretor de Harmonia: Jamil
Mestre de Bateria: Mestre Marquinhos
Diretor auxiliar: Professor Luiz Fernando
Diretores de Tamborins: Fabiano e Paulo
Rainha de Bateria: Alessandra
Mestre-Sala e Porta-Bandeira:
1º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira
Nome do Mestre-Sala: Eduardo Belo
Nome da Porta-Bandeira: Gizele

Fotos do Desfile

Vídeo do Desfile