Fundação: 18 de fevereiro de 1959

Fundadores: Guilherme José de Andrade, Luiz dos Santos Oliveira (Hominho), Benedito Antônio do Nascimento (Coragem), Hélio de Carvalho (Petico), Ubirajara das Neves (Bira), Áureo Cordeiro Ramos (Mestre Áureo), Jurandir Félix (Dindica), Otacílio de Souza, Manoel José de Santana (Biéca), Otávio Dantas (Tavinho) e Luiz Cordeiro Ramos.

Data de fundação: 18 de Fevereiro de 1959.

Madrinha: G.R.E.S. Unidos de Bangu.

Afilhadas: G.R.E.S. Unidos do Uraiti e G.R.E.S. Acadêmicos de Itaguaí.

Foi de um Bloco de Sujo, o “Vai Quem Quer”, lá pelos anos 50, que começou a desenhar-se a futura escola de samba Acadêmicos de Santa Cruz. Formado por um grupo de rapazes descontentes com o bloco carnavalesco "Garotos do Itá", do qual faziam parte, lá ía o “Vai Quem Quer” levando alegria por onde passava. O ponto de partida do Bloco era no Beco do Itá, na casa de Dona Marieta, encabeçado por Hominho e seus amigos.

No dia 18 de fevereiro de 1959, mais precisamente às 11:10h, um grupo mais compacto formado por Hominho, Guilherme, Luiz Taqueiro, Áureo, Pitico, Otacílio, Bira, Coragem, Santana e Dindica, resolveu fundar o bloco carnavalesco "Os Acadêmicos de Santa Cruz", afim de participar do Desfile Oficial existente naquela época, em Santa Cruz e bairros vizinhos. Mudando sua sede provisória para a Rua do Império, 564, nasce então o G.R.B.C. Acadêmicos de Santa Cruz com as cores Verde e Branco, escolhas de Dona Marieta.

Guilherme José de Andrade, figura ilustre do bairro de Santa Cruz e um dos fundadores do Bloco "Vai Quem Quer", foi escolhido para liderar a recém criada Escola de Samba. Segundo ele:

"É com orgulho que aceito esse desafio: levar o nome da nossa Comunidade para o conhecimento de todos, mostrando nossa cultura através do samba. Ficarei à frente dessa Escola de Samba o tempo que puder e espero que quem venha no futuro saiba valorizar este objetivo".

Devido à dedicação de todos, o bloco cresceu e se tornou respeitado. As vitórias nos desfiles da Zona Rural levaram seus dirigentes a transformá-lo em escola de samba, no que foi imitado por outros quatro blocos que existiam em Santa Cruz - Unidos da Jaqueira, Unidos de Caxias, Garotos do Itá (a parte que sobrara da cisão) e Independentes do Morro do Chá.

Quando "Os Acadêmicos de Santa Cruz" se filiaram, em abril de 1962, à Confederação das Escolas de Samba e passou a se chamar Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos de Santa Cruz, ficando apta para o desfile da Praça Onze no carnaval de 63, seus dirigentes astutamente atraíram para ocupar diversos postos da escola os melhores elementos das rivais que, desfalcadas, não conseguiram sobreviver. A injeção de bons sambistas na verde e branco a fez sagrar-se campeã nos seus primeiros anos de fundação, fator fundamental para o crescimento e conquistas da agremiação nos anos seguintes.