Fundação: 18 de fevereiro de 1959

Fundadores: Guilherme José de Andrade, Luiz dos Santos Oliveira (Hominho), Benedito Antônio do Nascimento (Coragem), Hélio de Carvalho (Petico), Ubirajara das Neves (Bira), Áureo Cordeiro Ramos (Mestre Áureo), Jurandir Félix (Dindica), Otacílio de Souza, Manoel José de Santana (Biéca), Otávio Dantas (Tavinho) e Luiz Cordeiro Ramos.

fundadores Data de fundação: 18 de Fevereiro de 1959.

Madrinha: G.R.E.S. Unidos de Bangu.

Afilhadas: G.R.E.S. Unidos do Uraiti e G.R.E.S. Acadêmicos de Itaguaí.

Foi de um Bloco de Sujo, o Vai Quem Quer, lá pelos anos 50, que começou a desenhar-se a futura Escola de Samba Acadêmicos de Santa Cruz, cujas reuniões iniciais aconteciam no Pontilhão da Rua do Império, esquina com a Rua Campeiro Mor.

No dia 18 de fevereiro de 1959, mais precisamente às 11:10h, um grupo de rapazes descontentes com o bloco carnavalesco "Garotos do Itá", do qual faziam parte, resolveram fundar o Bloco Carnavalesco "Os Acadêmicos de Santa Cruz", a fim de reacender a chama do carnaval no bairro. Reuniram-se, Hominho, Guilherme, Luiz Taqueiro, Áureo, Pitico, Otacílio, Bira, Coragem, Santana e Dindica, e resolveram transformar o Bloco "Vai quem quer" tradicional em Santa Cruz, em uma verdadeira Escola de Samba, com o interesse de desfilar no centro da cidade do Rio de Janeiro. Surge, assim, a Escola de Samba Acadêmicos de Santa Cruz.

Guilherme José de Andrade, figura ilustre do bairro de Santa Cruz e um dos fundadores do Bloco "Vai quem quer", foi escolhido para liderar a recém criada Escola de Samba. Segundo ele:

"É com orgulho que aceito esse desafio: levar o nome da nossa Comunidade para o conhecimento de todos, mostrando nossa cultura através do samba. Ficarei à frente dessa Escola de Samba o tempo que puder e espero que quem venha no futuro saiba valorizar este objetivo".

De 1960 até 1962 os desfiles foram no próprio bairro. O enredo para o primeiro desfile carnavalesco do Acadêmicos "tacou fogo na avenida": NERO, O IMPERADOR. A Escola contou um pouco da trajetória do líder romano que levou sua tirania à loucura, incendiando seu reino.

Em abril de 1962, o Bloco Carnavalesco Os Acadêmicos de Santa Cruz filiou-se à Confederação das Escolas de Samba e passou a se chamar Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos de Santa Cruz, sendo batizada pela Unidos de Bangu.