O Pavilhão verde e branco

 
Ao longo de sua história, a Acadêmicos de Santa Cruz já teve diferentes símbolos que a representasse. O primeiro a representar nossa agremiação trazia no estandarte o escudo formado por um touro como referência ao Matadouro Municipal que durante anos funcionou no bairro e atendia todo Rio de Janeiro. Um capelo fazia referência aos Acadêmicos que fundaram a Escola, juntamente a um pandeiro e um surdo como marcos da relação com o carnaval.



Já na década de 80, o pavilhão santacruzense ganharia novos traços. Composta por 16 faixas verdes e brancas, dispostas de forma alternada, que saem das extremidades da bandeira em direção ao símbolo (escudo) da escola, no centro. Uma grande estrela verde passou a nos identificar.



A partir do carnaval de 1995, um terceiro pavilhão foi adotado, com o fundo branco, molduras verdes e o Brasão do Império como símbolo, no centro. Esse pavilhão passou a ser empunhado pelo 2º casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira da agremiação até o fim da década. A Coroa passa a representar a Escola.



Em 1997, o escudo tornou-se definitivo e a bandeira herdou as faixas verdes e brancas de sua antecessora.