Sambas 1970 a 1979

Não localizamos em nossas pesquisas áudios de sambas dos anos de 1973, 1977 e 1979. Caso você tenha alguma gravação e queira ceder ao nosso acervo clique aqui e entre em contato conosco.
Carnaval 1974

(versão estúdio)
Carnaval 1975

(versão estúdio)
Letra do Samba
Autores: Luiz Domingos e Valdir Cruz
Intérprete: Coro da Escola

Aí então
Vou fazer meu carnaval
Alegria, pessoal ô ô
É tão grande a emoção
Vou pular de par constante
Com o Rouxinol da Canção
Que partiu tão de repente
E agora está presente
Nos portais da multidão

Seus trejeitos, sua classe
Causavam tremendo impasse
De norte a sul do país
Traduzindo em cancioneiro
O folclore brasileiro
Com acordes tão sutis
Cantou "menino passarinho"
Também teve o seu ninho
E ao paraíso voou
Desce uma névoa na cidade
Quando o bloco da saudade
Seu desfile terminou

Minha alma chora, senhora
Ele que vá se embora é hora
Madrugada chegando não pode mais ficar
Tenho dor no peito agora
Mas não tenho direito, senhora
Vá embora em paz
O céu é teu lugar
(e aí)

Letra do Samba
Autores: José Carlos Silva (Zé Carlão) e Alexandrino Da Cruz
Intérprete: Amauri de Castro

Ô, Bahia
De Salvador
Tenho por ti a magia
Abençoado pelo senhor

Berço natal de Ojuobá
E de Dorotéia
Rosa de Oxalá

Barquinhos iluminados
Na festa da Mãe Iemanjá
E o capoeira entra na roda
Se benze e faz poeira levantar
Baianas no afoxé
E os quitutes com azeite de dendê

Tem vatapá, tem acarajé
Quem tem medo de mandinga
Usa figa de guiné

Carnaval 1976

(versão estúdio)
Carnaval 1978

(versão estúdio)
Letra do Samba
Autores: Bené
Intérprete: Bené

Mais uma estrela se formou
Na bandeira do Brasil
E vamos apresentar
Nesse tema original
Para esse carnaval

Brasília sonho imperial
Realidade nacional

Através de um memorando
Lido na Assembléia Imperial

José Bonifácio sugeria
Que a nova capital fosse Brasília

O Mártir da Inconfidência Mineira
Já fazia proclamar
Nos chapadões do Planalto Central
O serviço de geografia definiu
E em 60 o presidente construiu

Brasília, ô Brasília
Destacando a inovação
Em suas arquiteturas
Deslumbrando as criaturas
Que vivem como eu nessa nação

E o progresso foi se alastrando
Pelo Brasil de um modo geral
Dedico uma homenagem a Brasília

Cantando neste carnaval

Ô ô ô ô ô ô
Mais uma estrela se formou
(na bandeira)

Letra do Samba
Autores: Jotabê
Intérprete: Dominguinhos do Estácio

Lá, lá, lá,lá, lá;
Lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá


E já diziam os poetas:
Musica — palavra de Deus
É como se fosse uma porta aberta
Para libertar um coração que se prendeu
Contam que a cidade de Campinas
Deu a luz a um menino
Para glória brasileira

E que essa luz se propagou,
O seu gênio iluminou
E atravessou fronteiras

“Cantata”, “O escravo”, “Joana”, “Maria Tudor”
Na “Noite do Castelo’, Nhô Tonico”.
No piano, fez bonito
Pra mostrar ao imperador

Mas foi então
Que Ceci amou Peri
Aí, o mundo inteiro se curvou